Páginas

20 março 2016

Tricô, capas,terninhos e muita estampa: no outono/inverno 2016

A grande estrela da próxima estação promete ser o tricô, mas o outono/inverno 2016
Os tecidos mais leves chegarão com cortes simétricos, ombros mais estruturados, muito bordado e as franjas, que se mantêm desde a última temporada.
 As estampas étnicas e o off-white seguem e continuarão aparecendo nas vitrines durante o período de frio. As novidades ficam por conta de algumas peças que serão chaves para compor um look de inverno: os maxi coletes e as capas. Tudo com muito tricô.
Se o outono e o inverno pudessem ser definidos em uma única palavra, seria o tricô.
A técnica da vovó para entrelaçar os fios de lã tem tomado a cena da moda não é de hoje, mas agora promete de vez chegar às vitrines. Tanto o tricô quanto o crochê andaram, durante algum tempo, desatualizados até que novos nomes da moda, como o da gaúcha Helen Rodel, levaram os fios a outro patamar que não apenas o dos velhos suéte.
Na contra-mão do fast fashion, adepta do desenhar com carinho, projetar com memória e produzir com mãos que contam histórias, a designer Helen Rodel faz moda à partir de lãs, linhas e agulhas de tricô que transbordam o ponto pipoca característico de suas criações.
Helen, inclusive, está entre os onze nomes da moda nacional  à figurar na ELLE China, no projeto Brasil Beyond, sob a assinatura “The New Look” que apresenta a moda brasileira sob uma nova perspectiva. A designer e seu processo de criação é pura inspiraçãores.

E na próxima temporada, eles permanecem.
Para a produtora de moda Madeleine Müller, as peças em tricô vêm em pontos mais largos e imponentes para ganhar espaço cativo nos closets.
Como peça única, o tricô fica muito interessante. Dá para usar o vestido, por exemplo, com um meião e já fica quentinha no inverno.

As opções são variadas:

 Os vestidos de tricô devem ganhar as vitrines. Estampas que vão de uma pegada boho chique até modelos em cor única, como o preto, devem aparecer.
Para o stylist Éden José, as peças podem ser complementadas com um casaco de couro ou uma jaqueta no estilo perfeito com aplicações variadas.
HELEN RODEL

















maxicoletes e capas
Em um clima anos 1970, o maxicolete é uma peça que vem e volta das passarelas, mas ainda não não caiu de vez no gosto das mulheres. Mas isso pode mudar neste outono. Para a produtora de moda Madeleine Müller, a peça é ideal para quem quer alongar a silhueta:
Veste muito bem e ajuda a disfarçar algumas coisas que a mulher às vezes não gosta.
As capas também devem ganhar as ruas, substituindo os quimonos, que estão fazendo bonito nas ruas neste verão.
Os quimonos foram uma tendência que pegou muito. Acho que os maxicoletes de tricô com franja, no estilo boho antigo, e as capas também vão pegar de vez — aposta o stylist Éden José, que ainda aponta saias mídi e calças pantacourt como peças que também devem chegar às ruas no outono.











 às estampas geométricas e étnicas 
Por aqui, o branco ainda não é reconhecido como uma cor para o inverno, mas o off-white pode ser um ótimo substituto. 
E o clássico preto e branco é sempre bem-vindo, principalmente, em peças com recortes mais ousados e estampas geométricas ,a estampa de bolinhas.
 O casaco trapézio é uma peça-chave para o inverno e em preto e branco fica muito bem quando combinada com outras peça com mais cor — destaca Madeleine
As estampas étnicas, que fizeram sucesso no verão, se manterão em estilos mais boho. 
O folk já é um clássico, mas as cores ficam um pouco mais neutras para se enquadrarem ao frio. Peças como suéteres de malha, saias e capas terão destaque nas vitrines.













O velho glamour dos novos terninhos
O terninho volta com tudo com estilo e classe para mulher moderna.
O estilo terninho de tweed da Chanel promete chegar às ruas. 
Neste inverno, ele vem com bordados clássicos, detalhes em pedras e tecidos mais pesados.












Nenhum comentário:

Postar um comentário