Páginas

28 abril 2016

Vinho tinto

Vinho tinto é a bebida resultante da fermentação do suco ou mosto extraído de uvas pretas ou tintas no qual é imperativo que haja maceração das cascas no mosto com a finalidade de se atribuir cor e sabor à bebida.
polpa da fruta, tanto da uva branca quanto da uva preta é clara, quando prensada esta polpa dá origem a um suco turvo considerado “branco”. A cor do vinho é obtida de acordo com a forma com que as cascas da uva são usadas. Para tornar o vinho tinto é preciso que as cascas das uvas pretas descansem no mosto, o que é chamado demaceração. A intensidade da cor no vinho tinto depende de dois fatores, primeiro do tipo de uva empregada na sua fabricação e segundo o tempo de maceração das cascas no mosto.
Classes de vinhos tintos
·         Amarone: Itália
·         Barbaresco: Itália
·         Baga: Portugal
·         Barolo: Itália
·         Brancellao: Espanha
·         Brunello di Montalcino: Itália
·         Beaujolais: França
·         Bobal: Espanha
·         Bordô: Brasil[1]
·         Bordéus: França
·         Borgonha: França
·         Cabernet Sauvignon: França, Argentina, Austrália, Califórnia, Roménia, Moldávia, Nova Zelândia, África do Sul, Chile, Venezuela
·         Cannonau: Itália
·         Castelão: Portugal
·         Carmenère: Chile
·         Cencibel: Espanha
·         Chianti: Itália
·         Dimyat: Bulgária
·         Feteasca Neagra: Roménia
·         Feteasca Regala: Roménia
·         Garnacha ou Grenache ou Cannonau: França, Espanha, América do Sul, Austrália e Califórnia.
·         Gumza: Bulgária
·         Isabel: Brasil[2]
·         Kagor: Moldávia
·         Mavrodafni: Grécia
·         Mavrud: Bulgária
·         Mazuela: Espanha
·         Malbec: Argentina, França
·         Melnik: Bulgária
·         Merlot: França, Argentina, Chile, Itália, Roménia, Moldávia, África do Sul, Califórnia e Washington (Estados Unidos), Venezuela, Austrália
·         Mirodia Red: Moldávia
·         Monastrell: Espanha
·         Nosiola:
·         Norton: Leste e centro-leste dos Estados Unidos da América
·         Pamid: Bulgária
·         Petite Syrah: Califórnia
·         Pinot Meunier: França
·         Pinot Noir: França, Nova Zelândia, Argentina, Califórnia e Oregon (EUA), Roménia, Moldávia, África do Sul, Austrália
·         Pinotage: África do Sul, Zimbabué, Nova Zelândia
·         Rioja: Espanha, Argentina
·         Syrah/Shiraz: França (N.Rhône), Austrália, Califórnia, Africa do Sul, Venezuela
·         Tannat: Uruguai
·         Tempranillo: Espanha, Venezuela, Argentina
·         Timorasso:
·         Tinta Roriz/Aragonez: Portugal
·         Touriga Franca: Portugal
·         Touriga Nacional: Portugal
·         Trincadeira/Tinta Amarela: Portugal
·         Trollinger: Alemanha
·         Valpolicella: Itália

·         Zinfandel: Califórnia


























A história e das variedades dos vinhos brancos mais apreciados no mundo

A história do vinho anda lado a lado com a história da civilização. Em épocas muito distantes, como as histórias narradas na bíblia ou em evidências históricas de aproximadamente oito mil anos AC dão pistas de que o vinho já era amplamente produzido e consumido. De lá para cá muita coisa mudou, seja em relação à tecnologia de produção das uvas, seja pelas variedades das espécies, o vinho evoluiu muito nas últimas décadas e o próprio vinho branco que conhecemos hoje é fruto dessa evolução. Conheça um pouco mais sobre o vinho branco e escolha o seu favorito.
CARACTERÍSTICAS DO VINHO BRANCO:
Os vinhos brancos se caracterizam pela sua leveza, aroma agradável e por sua refrescância, quando combinados com os pratos certos produzem um efeito maravilhoso em seu paladar, confira algumas características interessantes e peculiaridades dos vinhos brancos:
Podem ser feitos de uvas verdes ou vermelhas:
É isso mesmo nem todo vinho branco deve ser feito com uvas verdes, podemos citar como exemplo o vinho feito à base da uva tinta Pinot Noir, se usada com casca forma um belo vinho tinto e se utilizada apenas com o seu miolo, sem processar a casca, se torna em um excelente vinho branco espumante.
Temperatura ideal para servir um vinho branco:
Os vinhos brancos são marcados pela sua refrescância, por isso são servidos em temperaturas entre 6° a 8° C.
Harmonização perfeita com pratos leves:
Os vinhos brancos são perfeitos para harmonizar com pratos leves, normalmente servidos nas estações mais quentes do ano, tais como: saladas, aves, peixes, frutos do mar, grelhados leves, legumes. Sua versatilidade é tão grande que harmoniza também com sobremesas à base de frutas.
PRINCIPAIS TIPOS DE UVAS “BRANCAS”

Chardonnay:
Originária da região da Borgonha, na França, essa casta de uva é hoje a mais cultivada e utilizada para fabricação de vinhos brancos;
Riesling:
Essa variedade de uva vinda da Alemanha possui um aroma inigualável, sua versatilidade permite criar vinhos dos secos aos mais suaves. Harmoniza muito bem com comidas picantes;
Semillon Varietal:
Natural da famosa região de Bordeaux, na França, o Semillon não é um vinho dos mais famosos, mas tem seu reconhecimento pela qualidade e aroma. Produz vinhos doces e harmonizam muito bem com sobremesas;
Moscatel:
Curiosamente o Moscatel é praticamente a única variedade de vinho que traz consigo um aroma da própria uva, pois normalmente os “frutados” remetem a outros tipos de frutas. O Moscatel é largamente produzido na Espanha e França, gerando vinhos leves e doces;
Sauvignon Blanc:
Está entre as uvas mais conhecidas do mundo, produzido em diversos países, tais como: França, Chile, Estados Unidos e Nova Zelândia, o vinho Sauvignon Blanc traz um aroma marcante e harmoniza muito bem com queijos e risotos;
Pinot Gris:
Também chamada de Pinot Grigio na Itália o Pinot Gris produz um vinho extremamente leve, com aroma frutado, mas na versão francesa podemos encontrar vinhos mais encorpados, mais secos e com aromas mais fortes, isso ocorre pelo fato de lá essa variedade de uva ser colhida mais tarde do que nos campos da Itália.
Chenin Blanc:
Essa variedade é cultivada em diversas partes do mundo, mas tem muito destaque na Africa do Sul. Produz vinhos leves, com aromas frutados e muito característicos, harmoniza muito bem com peru, frango e frutos do mar;
Gewurztraminer:
Como o próprio nome já entrega essa uva tem origem na Alemanha e produz vinhos com personalidade forte, com aroma acentuado e picante seu vinho harmoniza muito bem com comida asiática;
Enfim, o vinho branco está ganhando mais espaço no Brasil e a cada dia os consumidores têm perdido o preconceito de aprecia-lo. Portanto, escolha o seu preferido e harmonize-o com um prato que lhe interessar, será com certeza uma experiência inigualável.




















Como escolher e comprar um bom vinho.

Videoaula | Degustação de Vinhos 1

23 abril 2016

Dica - Como fazer geléia de tamarindo

Tamarindo fruto azedinho e delicioso

  No Sudeste Asiático e na índia, era atribuída ao tamarindeiro a fama de ser morada de influências maléficas, sendo seu perfume, sua sombra e objetos perigosos produzidos de seu tronco considerados perigosos. Segundo a tradição, as armas que possuíssem bainha feita de sua madeira teriam poderes para dominar o mais temível inimigo, até mesmo os considerados invulneráveis. Na Europa, era conhecido desde a Idade Média, tendo sido introduzido, possivelmente, por meio dos Árabes. Estes a denominavam Tamr al-Hindi,, cujo significado é “tâmara da Índia’’, em referência à polpa de seu fruto, que julgavam semelhante à da tâmara”.
No Brasil, difundido e cultivado há séculos, o tamarindeiro é uma árvore que, devido a grande beleza e produção de sombra, é muito apreciada como ornamental e para urbanização, nas cidades e estradas, apesar de apresentar um crescimento lento. Seu tronco fornece madeira de boa qualidade para construção civil, embora difícil de trabalhar pela sua dureza a serras e pregos. O fruto, de sabor refrescante, ácido, adstringente e, ao mesmo tempo um pouco doce, é bastante conhecido e muito utilizado para fabricação de balas, refrescos, licores e sorvetes.
Na indústria farmacêutica, o tamarindo encontra utilização em preparados laxativos e em aromatizantes. Na medicina popular também é amplamente empregado como laxante, inclusive para tratar crianças, já que seu consumo raramente oferece riscos.
Originário da África equatorial e da índia. Cultivado em regiões de clima quente ou temperado, está bem aclimatado no Brasil.
De todas as árvores leguminosas frutíferas dos Trópicos, nenhuma é tão distribuída, e apreciada como ornamental do que o tamarindeiro. A maioria de seus nomes coloquial é variações no termo inglês comum (tamarind). Em espanhol e português, é tamarindo; em francês, do tamarin, o mais tamarinier ou mais tamarindier; em holandês e alemão, Tamarinde; no italiano, tamarandizio e na Índia, é tamarind ou ambli, imli ou chinch. O tamarindeiro é conhecido como um adjetivo qualificado; é aplicado freqüentemente a outros membros da família leguminosae que tem as folhas um tanto similar.
            O tamarindeiro ( Tamarindus indica ) é uma árvore economicamente importante, encontra-se em muitos países da Ásia, África e América do Sul. É uma cultura ideal para regiões semi-áridas, especialmente nas áreas com eminência de seca prolongada. O tamarindeiro pode tolerar 5 - 6 meses de condições de seca, mas não gosta do fogo, da geada ou de longo período de chuva. É uma árvore de fácil cultivo, e requer cuidado mínimo. Está geralmente livre de pragas e doenças sérias, tem uma extensão de vida de 80-200 anos, e pode render 150-500kg de vagem por árvore saudável por ano, em 20 anos de idade.
            O tamarindeiro é considerado uma árvore de multiuso. É uma fonte de madeira, de fruta, de sementes, de forragem animal, de extratos medicinais e de potenciais componentes industriais. Para pequenos produtores rurais, os quais cultivam cultura de subsistência, a cultura do tamarindeiro pode ser uma fonte de renda nos períodos difíceis, ou seja, de baixo preço e baixa produtividade da cultura principal. As árvores do tamarindeiro podem compensar produtores nas épocas em que as culturas principais já foram colhidas. O tamarindo, geralmente é colhido na estação seca do ano, oferecendo desse modo, um retorno econômico potencial em mercados locais quando o alimento é escasso.
O fruto do tamarindeiro é utilizado na fabricação de refrescos, sorvetes, pastas, doces e licores. Mas, sua industrialização tem sido em maior parte na forma de sucos e pastas preparados a partir da polpa.
            Os frutos do tamarindeiro apresentam uma grande variação nas suas características físico-químicas, as quais, dependem principalmente do local onde foi produzido e do período pós-colheita. O comprimento varia de dois centímetros e mio a 17,5 cm e a largura de dois a três centímetros. Cada fruto possui de uma a 10 sementes, pesa de 10 a 15 gramas e suas partes constituintes, casca, polpa e sementes, contribuem respectivamente com 30%. 30% e 40% para o peso do fruto inteiro. A composição química da polpa (parte comestível) varia em muito, destacando-se os teores de carboidratos – fração nifext (59,8 a 71%), ácidos (12,2 a 23,8%), sólidos solúveis (54 a 69,8%), além da umidade (15 a 47%) e proteínas (1,4 a 3,4%).
            No Brasil as plantas foram introduzidas da Ásia e mostram-se naturalizadas e subespontâneas em vários estados, além de serem cultivadas em quase todos. Apesar de não ser nativo do Nordeste, devido a sua grande adaptação, o tamarindeiro é considerado como planta frutífera típica da região, mas pouco se conhece do fruto no Nordeste e em outras regiões cultiváveis. Para minimizar o problema, pesquisas são necessárias para maiores informações sobre a cultura, para um melhor aproveitamento industrial racional da cultura.
            Há diferentes variedades cultiváveis de tamarindo, as quais podem ser divididas em ácidas e doces. A maioria dos países, cultivam plantas com características varietais ácidas, essas quais tem a facilidade de desenvolverem em locais quentes e ensolarados. As variedades do tipo doce não estão disponíveis. Nas plantas doces de tamarindeiro, podem ser encontrados ramos isolados que carregam frutos nos pontos de brotações. Estes ramos podem ser utilizados para propagação vegetativa na obtenção de plantas doces de tamarindeiro.