Páginas

14 fevereiro 2016

População adulta não precisa beber leite gordo

A vice-presidente da Ordem dos Nutricionistas de Portugal, Graça Raimundo, afirmou que a queda no consumo de leite gordo verificada no país pode ser justificada por uma opção da população pelo leite meio-gordo, alternativa recomendada para a idade adulta
"Se nós persistirmos numa ingestão sistemática de um valor calórico mais elevado e de uma quantidade de gorduras saturadas maior ao fim de algum tempo vamos ter os resultados. O leite magro tem aproximadamente 30 quilocalorias por 100 mililitros enquanto o leite gordo tem cerca de 60 por 100 mililitros. O meio gordo tem aproximadamente 45. Em termos nutricionais, a quantidade de proteínas e a quantidade de hidratos de carbono é igual", ressalvou à Lusa, questionada sobre os benefícios ou malefícios do leite gordo.
A página da Direção-Geral de Saúde sobre alimentação saudável recorda que o leite é um "alimento de elevado valor nutricional [e] apresenta quantidades interessantes de vitaminas e minerais", com destaque para a vitamina B12, a vitamina D, o cálcio e o fósforo.

"A população adulta e mesmo a população jovem não precisa Ele beber leite gordo, pode ser substituído por leite meio-gordo, que, em termos nutricionais, se torna mais adequado, porque a gordura do leite, embora seja uma gordura de fácil digestão, é uma gordura de origem animal e tem implicação nas doenças cardiovasculares", afirmou a dirigente da Ordem dos Nutricionistas.







Nenhum comentário:

Postar um comentário